Biopoder

De Indisciplinar
Revisão de 05h04min de 26 de janeiro de 2015 por 201.80.218.91 (discussão) (Criou página com 'o poder que é exercido sobre a vida (perspectiva negativa como introduzida por Foucault) ou as formas de exercício de poder da vida (perspectiva positiva como reconsiderada ...')
(dif) ← Edição anterior | Revisão atual (dif) | Versão posterior → (dif)
Ir para: navegação, pesquisa

o poder que é exercido sobre a vida (perspectiva negativa como introduzida por Foucault) ou as formas de exercício de poder da vida (perspectiva positiva como reconsiderada por Deleuze e apropriada por Hardt e Negri). Esse contexto seria devido ao fato de o poder Imperial, através do capitalismo cognitivo, abarcar tudo aquilo que represento o comum numa estratégia biopolítica, ou seja, as linguagens, símbolos, imagens, enfim, todos os meios compartilhados pelos indivíduos, através dos quais estes tornam-se capazes de se comunicar e de, assim, produzir algo em sociedade. “Nesse sistema todo o tempo é produtivo e o comum que compartilhamos serve de base para a produção futura, numa relação expansiva em espiral”, pois só podemos nos “comunicar e criar colaborativamente utilizando linguagens, símbolos, idéias que constituem novas imagens, símbolos, idéias e relações comuns. (…) essa relação entre a produção, a comunicação e o comum é a chave para entender toda atividade social e econômica” (HARDT; NEGRI, 2005: 256-257) própria do capitalismo pós-fordista, cognitivo, imaterial. A ampliação desta acepção de biopolítica por Hardt e Negri situam o conceito como algo que acontece plenamente na sociedade de controle, na qual o poder subsume toda a sociedade, suas relações sociais e penetra nas consciências e corpos.