.download/012.pdf

De Indisciplinar
Revisão de 12h27min de 21 de dezembro de 2021 por Indisciplinado (discussão | contribs)
(dif) ← Edição anterior | Revisão atual (dif) | Versão posterior → (dif)
Ir para: navegação, pesquisa
v. 7 n. 1 (2021): Revista Indisciplinar

A 12a edição da Revista Indisciplinar traz como tema “Outros mundos: novas subjetividades, novos métodos” e pretende reunir e apresentar propostas de novas metodologias para os desafios contemporâneos. Devido ao alto número de artigos recebidos para esta edição e à qualidade dos mesmos, optamos por fazer dois números com o mesmo tema. Na revista Indisciplinar 12, v.7 n.1, apresentamos 8 artigos e um ensaio, além da entrevista e dos gêneros artísticos que sempre trazemos na Indisciplinar. Nesta edição, o ensaio fotográfico de Cledisson Junior “A Ciência Encantada: Ensaio fotoetnográfico em um terreiro de Jurema Sagrada” registra, com lirismo e sensibilidade, um terreiro da Jurema Sagrada em Olinda/PE. A busca pelos conhecimentos tradicionais, a partir do que o artista define como “conflitos cosmopolíticos”, dialoga diretamente com os artigos “Auto-organização, afirmação e politização na Festa de São Francisco das Chagas no Remanso (Lençóis- BA)”, de Renata Araújo e José Marcio Pinto de Moura Barros, e “Afetos, brasilidade e urbanidade: uma aproximação”, de Eliana Barbosa. Em todos eles, são apresentadas festas comunitárias de grupos afrobrasileiros e propostas reflexões sobre as estratégias de mobilização e resistência que esses eventos impulsionam.

O conto de Susan Oliveira, “A caixa de memórias”, é apresentado pela autora como “uma homenagem a todas as mulheres que dedicam suas vidas em defesa de seus territórios e de sua gente, e que lutam por cidades e uma sociedade mais democráticas, justas, inclusivas e amorosas”. A ausência de nomes e localizações geográficas na narrativa estabelece uma relação metonímica entre a personagem apresentada e todas as mulheres ativistas na luta pelo direito à moradia. É interessante perceber a relação entre o conto e a entrevista desta edição, com a prefeita de Contagem/ MG, Marília Campos. Afinal, a pergunta central da conversa com Marília, elaborada pela equipe Natureza Política, do grupo Indisciplinar, é: “Como o cuidado pode ser central na Administração Pública?”. Partindo dessa provocação, a prefeita reflete sobre uma política feita por mulheres e interessada no cuidado e na atenção aos seres vivos, além de apresentar os projetos desenvolvidos por sua equipe para uma cidade mais inclusiva, arborizada e capaz de respeitar todas as formas de vida. Em oposição à perspectiva propositiva e idealista desses trabalhos está o artigo “Empreendedorismo periférico? motoristas uberizados e lavadores precarizados em lava a jatos nas margens da metrópole”, de Fábio Tozi e Fábio Bozzi, estruturado a partir de entrevistas com motoristas e lavadores de carros da cidade de Betim/MG. O debate sobre o uso do termo empreendedorismo nas relações socioespaciais mobiliza uma reflexão sobre as estratégias contemporâneas de marginalização e supressão de direitos trabalhistas.

Os outros quatro artigos desta edição refletem sobre possibilidades metodológicas para uma universidade mais inclusiva e interessada nas relações humanas, a partir de propostas de pesquisa e extensão em cursos de Arquitetura. “O processo no projeto e no ensino de arquitetura sob um olhar decolonial”, de Larissa Guimarães Reis, estabelece novos paradigmas para o ensino de arquitetura, enquanto “Entre multiescalaridade e transescalaridade: aproximações entre Teoria Crítica Urbana e Urban Assemblage”, de Gabriela Romano, Mariane Cardoso e David Sperling, apresenta e reflete sobre os conceitos presentes no título e suas implicações metodológicas no ensino. Já “Plataforma Brumadinho UFMG: desenvolvimento conceitual, princípios, estrutura, funcionalidade e método de análise documental”, de Paula Guimarães, Natacha Rena, Clodoveu Augusto Davis Junior, Danilo Caporalli Barbosa, Luci Aparecida Nicolau, Michele Brito Pinheiro, Laura Silva de Andrade, Ingrid Lagares Santana e Luís Augusto Menezes Costa, e “Um aplicativo de mapeamento online participativo como ferramenta de assessoria técnica em arquitetura e urbanismo”, Juliette Lenoir e Liza Andrade, apresentam projetos que unem pesquisa e extensão na elaboração de sites para o compartilhamento de dados referentes a projetos urbanísticos e processos judiciais. A amplitude do escopo desta edição da Revista Indisciplinar evidencia a relevância do tema e a necessidade de refletirmos sobre novas estratégias metodológicas para a construção de universidades e de cidades capazes de lidar com os desafios socioambientais da contemporaneidade, sem abandonarmos as lutas históricas por acesso a moradia, direitos trabalhistas e lazer. Esperamos que a revista estimule novos debates e mobilize estratégias propositivas para a transformação do conhecimento acadêmico e para a articulação dos diversos saberes que circulam no espaço público.

v. 7 n. 1 (2021): Revista Indisciplinar